Liderança e engajamento: duas ferramentas que andam lado a lado
Equipe ACIC
Equipe ACIC
Tradicional instituição empresarial de Campinas, fundada em 1920 e com mais de 2.500 empresas associadas, a ACIC apoia o desenvolvimento das empresas por meio de seus 3 pilares para soluções empresariais: Redução de Custos, Oportunidades de Negócios e Educação Empreendedora.

Liderança e engajamento: duas ferramentas que andam lado a lado

Manter uma boa equipe com bons líderes é essencial para uma empresa. Entretanto, muitas corporações não investem em qualificação dos gerentes, tampouco trabalham com engajamento dos demais colaboradores. Hoje são poucas as companhias que ignoram a falta de qualificação, e em momentos de crise, isso se torna mais evidente, com posições e cargos que necessitam de uma liderança consistente.  

Segundo uma pesquisa realizada pela SocialBase, aproximadamente 69% dos colaboradores se sentem descontentes no trabalho, deles, 20% não estão felizes em suas ocupações e 49% buscam no futuro empreender. Ainda de acordo com a pesquisa, o motivo da falta de engajamento é que eles se sentem desvalorizados e desmotivados.

Por isso, o papel de um líder é fundamental para orientar e participar de todos os processos, assumir responsabilidades e compartilhar os resultados. Também é imprescindível que ele tenha um bom relacionamento com os outros setores, o networking interno.

Como as empresas podem melhorar? 

    Existem algumas técnicas que podem ser abordadas nas instituições e que melhoraram a liderança de equipes. E elas devem começar no setor onde todos os processos se iniciam, no de recrutamento e seleção. É importante que sejam trabalhados pontos específicos que melhorem o desempenho dos trabalhadores. Em um estudo realizado pela Deloitte, cerca de 60% dos gestores de recursos humanos não trabalham com programas que medem ou que melhore o engajamento dos profissionais.

Alguns pontos primordiais para romper a barreira da falta de estímulos é o desenvolvimento dos interesses do grupo, afinal, funcionário motivado, é funcionário engajado. 

Além disso, é interessante trabalhar com os perfis comportamentais, dessa forma é possível identificar os pontos fortes e fracos dos colaboradores, possibilitando a avaliação de reações e ajudando a potencializar os resultados. 

Outro meio de “fidelizar” o trabalhador é por meio da retenção de talentos, uma das opções é com a criação de ambientes corporativos que sejam positivos e atrativos, tanto para quem apenas visita seu negócio, quanto para aqueles que passam boa parte do dia. Em muitas organizações, a rotatividade se torna um grande problema e isso pode ser por conta da falta de incentivos, como por exemplo, planos de saúde, odontológico, etc. Esse é um dos pontos que devem ser trabalhados nas empresas.

Mas, também é preciso cuidar da própria imagem, e ver como algo extremamente importante. Lembre-se, uma organização vende uma imagem, por isso é necessário a construção de uma marca. Quando falamos do mundo de recrutamento e seleção, é preciso trabalhar a criação da marca empregadora. Isso pode decretar o sucesso ou o fracasso como recrutador. Um exemplo disso são as grandes multinacionais, que têm uma identidade empregatícia consolidada, mesmo com a grande margem de profissionais que se candidatam às vagas, é possível escolher com facilidade os melhores, devido a sua reputação no mercado.

Já os feedbacks são essenciais para que o funcionário compreenda a visão de um líder sobre ele. Mostrar que tem alguém do lado, entendendo o que se passa no setor e quais as dificuldades da equipe. Para fortalecer os vínculos com os colaboradores, é necessário orientar que, líderes exercem liderança, não o poder, evitando assim, a falta de entusiasmo. Afinal, eles são exemplos para os demais, todas as ações geram um reflexo dentro da corporação, ou seja, o engajamento é um ponto crucial a ser trabalhado na gestão de pessoas. Isso faz com que todos sigam os padrões de comportamento, como o do líder.     

    Programas de compartilhamento de conhecimento e reconhecimento interno, faz com que aumentem o interesse de todos na empresa, dessa forma, com a valorização do talento humano, é entendido o valor que o trabalho de cada um tem.

    Para se tornar um grande líder, é necessário primeiro se tornar um incentivador de pessoas. É necessário que mude o olhar dos que estão ao seu redor. Elogios sinceros e nas horas certas são bem-vindo. Além disso, floresce a motivação nos outros. 

    Quero ser um bom líder! 

Na ACIC, além dos programas para alavancar e desenvolver empresas de Campinas, existe a preocupação de formar líderes. O Programa de Formação de Gestores (PFG), tem o propósito de alavancar e impulsionar a capacidade empreendedora dos associados. O programa capacita profissionais do varejo e de serviços por meio de uma visão 360º e inovadora sobre todas as áreas de um negócio. O PFG tem uma carga horária com o total de 48 horas, divididos em 4 módulos. As aulas são focadas em temas que visam e estimulam o desenvolvimento.  

Quer saber mais informações? Entre em contato conosco pelo telefone (19) 2104-9200 ou no WhatsApp (19) 99607-7604.


Equipe ACIC|

Pode lhe interessar


Colunistas


Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto Foto

Posts recentes


Assuntos relacionados